DESconstruir

ANA CASTANHEIRA


Nas crianças, o brincar, o afeto, a linguagem, a perceção, a representação, e outras funções cognitivas estão interligadas. Brincar não é apenas o prazer e entretenimento, assim como precisam de comer para crescer, também precisam de dedicar o seu tempo a brincar, para que haja um desenvolvimento harmonioso, tanto a nível físico, emocional, cognitivo e social.  “DESconstruir” tem como objetivo intervir naquilo que contém um brinquedo binário, dirigido especificamente para rapaz ou para rapariga.  Assim, surge uma questão presente desde há muito tempo: Porquê associar a cor rosa às raparigas e a cor azul aos rapazes? O projeto é constituído por seis figuras, dividida em quatro partes unidas por ímans: cabeça; tronco; cintura e pernas juntamente com os pés. Cumprindo assim a missão de diversidade de tons de pele, cabelos e roupas. As figuras transformam-se  quando são contruídas num ambiente iluminado, resultando numa projeção das figuras coloridas, dando oportunidade de desenharem por cima a silhueta projetada. Ao omitir o rosa e azul, quebra-se a associação de géneros. Assim sendo, todo o projeto focou-se na aplicação de outras cores, e nenhuma deve ser a reflexão de um género. Porquê limitar o imaginário das crianças quando na verdade são o nosso futuro?!

In children, play, affection, language, perception, representation, and other cognitive functions are interconnected. Play is not just pleasure and entertainment, just as they need to eat to grow, they also need to dedicate time to play, so that there is a harmonious development, both physically, emotionally, cognitively and socially. "Deconstruct" aims to intervene in what contains a binary toy, directed specifically for boy or for girl.  Thus, a question has long been present: why associate the color pink with girls and the color blue with boys? The project consists of six figures, divided into four parts joined by magnets: head; torso; waist; and legs along with feet. Thus fulfilling the mission of diversity of skin tones, hair, and clothing. The figures are transformed when they are built in a lighted environment, resulting in a projection of the colored figures, giving them the opportunity to draw over the projected silhouette. By omitting pink and blue, the gender association is broken. Therefore, the whole project focused on the application of other colors, and none should be a reflection of a gender. Why limit the imagination of children when they are in fact our future?!